A importância da concentração de soda

Quando se quer calcular a quantidade de álcali (soda ou potassa) necessária para saponificar uma determinada quantidade de óleo ou mistura de óleos, o cálculo é objetivo e direto. É um cálculo fundamentado na relação estequiométrica da reação de saponificação, uma reação química. Pode ser feito manualmente, necessitando conhecer o índice de saponificação (IS) de cada óleo ou com o uso das várias calculadoras que existem on-line.

Tendo a quantidade de álcali – vou me referir à soda para facilitar, surge a pergunta: quanto de água devo utilizar para fazer a solução para diluir a soda?

Muitas pessoas nem fazem esta pergunta porque utilizam as calculadoras e as duas principais, já fornecem um valor default.

No Soapcalc é 38% de água como percentagem dos óleos e o da Mendrulandia fornece 28% de concentração de soda.

As pessoas pegam esses valores e saem a fazer o sabão. Acontece que na maioria das vezes estes valores não são os ideais para fazer o sabão. O Soapcalc ainda faz uma ressalva que o seu valor padrão é para quem está iniciando e depois, adquirindo experiência, muda para outros patamares de maior concentração de soda. O da Mendrulandia faz um explicação envolvendo os tipos de óleos e a concentração a usar. O que é ruim é que em ambas as calculadoras estas explicações ficam perdidas no meio das instruções que a maioria não lêem.

O fato é que a quantidade de água é muito importante para a performance do sabão nas propriedades de dureza inicial e tempo de secagem inicial. Inicial porque curva de dureza e secagem ao longo do tempo, ao final se aproximam de um ponto em comum. Se deixarmos um sabão comum por, digamos, 6 semanas, independentemente da quantidade de água que foi usada para diluir a soda, todos terão uma dureza similar e estarão secos igualmente. Agora, se tomarmos a dureza e a quantidade de água presente no sabão na primeira semana, se notará uma diferença grande, significativa. E aqui é muito importante a concentração da solução de soda.

Existem três modos de se expressar a quantidade de soda e água quando se vai fazer um sabão artesanal:

1 – Água como percentagem dos óleos

2 – Razão água : soda

3 – Concentração percentual de soda

As duas primeiras na verdade são modos não científicos de se expressar a concentração de uma solução soluto/solvente. É como expressar medidas de massa/volume como colher de sopa, colher de chá, copos, que tem razões históricas por trás, quando os recursos hoje disponíveis eram raros e caros. Há 20 anos atrás, quem poderia comprar uma balança digital?

O mais correto é expressar como concentração percentual de soda. Explicita a quantidade de soda e água presente em 100g de solução.

Fiz uma tabela para mostrar que a concentração de soda pode ser otimizada de acordo com algumas característica do sabão que se quer fazer, sua composição de óleos, o conhecimento de quem vai fazer, do modo que se quer fazer o sabão e também da interferência de alguns óleos essenciais e aditivos.

Os valores abaixo de 25% e acima de 40% estão assinalados em vermelho porque estão em regiões não recomendada, podendo haver separação de líquidos abaixo de 25% e reação muito rápida acima de 40%.

Os principais óleos saturados também conhecidos como óleos duros (hard oils) são os que contém predominantemente, ácidos graxos saturados na sua composição:
óleo de côco, palmiste, babaçú, palma, manteiga de karité, manteiga de cacau, e o esteárico (ácido graxo)

Os principais óleos insaturados também conhecidos como óleos moles (soft oils) são os que contém predominantemente, ácidos graxos insaturados na sua composição:
óleo de oliva, girassol, canola, soja, amêndoas doce, abacate, semente de uvas, arroz e mamona.

Só vou citar os dois extremos da relação saturados/insaturados. No máximo de 100/zero da relação sat/insat está o sabão de côco 100%., cujo único óleo é o que contém o ácido graxo saturado laurico que pode ser o côco, palmiste e babaçú. O traço deste sabão é muito rápido e a saponificação é exotermica, isto é, gera muito calor. Aqui é preciso trabalhar com uma concentração baixa de soda (mais água) do que o normal, algo abaixo de 30%, o que favorece um maior controle do traço e também pode evitar rachaduras do sabão no molde.

O outro extremo  é o venerado sabão 100% azeite de oliva, cujo único componente é o óleo de oliva, que contém predominantemente o ácido graxo oleico, um monoinsaturado. Muitos fazem este sabão usando o valor default de 28% de concentração de soda na calculadora da Mendrulandia ou 38% de água sobre  % de óleos na calculadora do Soapcalc, que corresponde a 25% de concentração de soda.  Este valores de concentração de soda podem ser enormemente otimizados usando até 40% de conc. de soda.

 

 

22 ideias sobre “A importância da concentração de soda

  1. Muito a experimentar, depois de analisar muito bem os óleos, inclusive as diferenças imperceptíveis de uma safra para outra…
    Grata!

    • Edvandro,
      Acho que vc nao entendeu. 28% é a concentração de soda, significa que em 100g dessa solução vc tem 72g de ágau e 28g de soda.
      Impossível trabalhar com 100% de soda e 50% somente em casos excepcionais.

  2. Maravilhosa explicação! Finalmente entendi o uso da calculadora, concentração da soda e compatibilidade com os óleos! Muito obrigada pela sua generosidade!!! Imagina a economia de produtos que faremos com sua aula! Grande abraço Mestre!

  3. Caro Roberto,

    Por favor, você pode me enviar a receita do sabão caseiro feito a partir de óleo usado? Desde já, aceite meu sincero agradecimento.

    Antonio Carlos
    São Paulo – SP

      • Caro Roberto,

        Sim, a resposta já está lá. Falta de atenção dá nisso, né?! Me desculpe.

        Li que você gosta de fotografia. Eu também a tenho como hobby, inclusive ainda fotografo com filme, preferencialmente P&B. Por causa disso (da fotografia) tomei conhecimento de uma empresa, em Diadema-SP, que vende produtos químicos. Creio que ela possa ser de interesse para algumas pessoas da Saboaria.

        É a Cromoline. Você conhece?

        http://www.cromoline.com.br

        Forte aperto de mão e muito obrigado.

  4. Complementando o que eu disse a respeito da Cromoline. Lá é possível comprar, por exemplo, Hidróxido de Potássio PA até a quantidade de 2KG. Somente acima disso é que é controlado pela Polícia Federal, nesse caso, claro, para Pessoa Física.

  5. Caro professor (me permita chamá-lo assim) Roberto,

    Gostaria de saber se há alguma diferença em usar:

    – HIDROXIDO DE SODIO LENTILHAS PA
    – HIDROXIDO DE SODIO ESCAMAS PA
    – HIDROXIDO DE SODIO MICROPEROLAS PA

    Eu pedi uma cotação de preço lá na Cromoline e, se vc concordar e/ou permitir, posso divulgar os valores aqui, logo mais.

    Obrigado,

    Antonio Carlos
    São Paulo – SP

    • Antonio Carlos,
      Nenhuma diferênça, são formas fisicas da soda.
      Estes hidróxido de sódio são todos reagentes analíticos grau PA (pro análise) e desta forma muito caros.
      Para fazer sabão seria masi conveniente por questão de custos, o grau industrial minimo de 97%.
      Pode anunciar os preços

  6. Oi Roberto,

    Peço que me perdoe. Somente hoje eu vi o email que vc me mandou lá pelo Hotmail. Acabei de responder por lá mesmo.

    Te enviei outro endereço de email que pra mim é o mais habitual.

    abração,

    Antonio Carlos Braga

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>