Sabão batido – whipped soap

 

P1030182P1030183Em 2007 um saboeiro de nome Nizzy (Terry Nisbet) da Austrália, popularizou um modo diferente de fazer sabão, que consiste em bater os óleos sólidos em uma batedeira de cozinha, dessas de fazer bolos ou bater o creme chantilly. A idéia é incorporar ar na massa de óleos saturados (sólidos),  acrescentar os óleos insaturados (líquidos), adicionar a soda e depois as fragâncias e os aditivos. O processo é um cold process normal feito na temperatura ambiente e com a diferênça na fase de incorporar o ar com a batedeira.

O fundamental da formulação é ter uma proporção de pelo menos 80% de óleos sólidos (saturados) que podem ser: palma, babaçú, palmiste, manteiga de cacau, manteiga de karité, cupuaçu, ucuúba, etc, e 20% de qualquer óleo insaturado (líquido) para dar as propriedades condicionadoras ao sabão.

Todo o processo é feito na temperatura ambiente ou mais frio, costumo fazer a uns 10 a 15ºC  pois eu derreto os óleos sólidos para misturar bem e depois coloco na geladeira para solidificar. O importante é manter os óleos sólidos, caso contrário não é possível bater para virar um creme aerado. Essa aeração faz com que esse tipo de sabão quando colocado na água, não afunda, ele flutua. Também tem maior volume por peso devido a oclusão de ar. Como o cold é feito à baixa temperatura, a saponificação é lenta e dificilmente ocorre a fase gel. O ar ocluido também retarda a saponificação e permite com isso um tempo maior para fazer o sabão. Costumo dizer que o sabão batido é ótimo porque não precisa de correria, não tem afobação, nao tem o ponto de trace, é o sabão sem stress!

OP Sabao Batido Whipped Padrao Blog 520pxAqui a fórmula com as instruções do processo.

P1030109No sentido horário, os pigmentos usados como colorantes, dispersos em 10g de glicerina vegetal, a mistura de óleos essenciais, a solução a 28% de soda que foi resfriado a 10ºC, a mistura de oliva e mamona e o saco plástico com os óleos sólidos que foram derretidos e depois mantido por 2 horas na geladeira para solidificar parcialmente.

P1030111A mistura de óleos sólidos parcialmente solidificados.

P1030112Inicio de incorporar o ar usando uma batedeira muito simples (made in China) mas barata, versátil e robusta, permite usar uma ou duas hastes e também pode ser destacado do suporte e seguro pela mão, o efeito planetário é obtido girando o bowl com as mãos.

P1030118Depois de aproximadamente 10 minutos batendo em velocidade alta o aspecto é esse, parecido com um creme areado.

P1030124É o momento de adicionar a mistura de óleos insaturados, lentamente para evitar ao mínimo a diminuição da aeração.

P1030127A soda é adicionada bem lentamente e com cuidados para evitar respingos para fora do recipiente. Se nota o aumento de volume devido ao ar ocluido.

P1030128Depois da adição da soda a massa é batida por mais 10 minutos em media, isso garante uma boa mistura da soda com os óleos e nem se percebe o traço por causa da aeração.

P1030130Adiciona-se os óleo essenciais lentamente para nao derrubar a aeração

P1030132No caso eu dividi a massa em três partes para colorir com os pigmento branco, vermelho e azul.

P1030134Foi usado a técnica do swirl de colher. Como a reação é muito lenta, não há a preocupação de fazer rápido porque, diferente do cold normal onde o tempo é fator fundamental, no sabão batido a viscosidade da massa se manter por um bom tempo sem se modificar.

P1030141Swirl finalizado e pronto para ficar 24 horas para ser desmoldado.

P1030149O bloco tirado do molde depois de 24 horas. A evolução de calor da saponificação somente ocorreu depois de 12 horas do inicio do cold process, uma saponificação bastante lenta.

P1030154 RevP1030158O bloco posicionado no novo cortador múltiplo (este é ainda um protótipo, em breve estarei vendendo este cortador e um outro tipo).

P1030165Cortados 12 barras de sabao.

P1030169

P1030171 RevP1030181P1030184P1030185P1030187P1030194

 

 

29 ideias sobre “Sabão batido – whipped soap

  1. AAaahhhh Roberto, mas voceêestá me saindo um saboeiro de mão cheia…..
    Não gosto deste sabão…..fiz algumas vezes, há muito tempo atrás…….para mim, o cold, apesar de todos os contras, ainda é o meu queridinho.
    Mas o que gostei deste post foi: ….” em breve estarei vendendo este cortador e um outro tipo ” ………….
    Espero que meu nome seja o primeiro da lista !
    abs
    e saudades
    Beth

  2. Nossa Sr Akira adorei essa técnica. Eu sempre tenho medo de acelerar o trace (sou principiante neh rs). Vou deixar essa técnica bem anotadinha pra quando comprar a batedeira. 😉

  3. Olá Roberto, muita boa apresentação de todo este processo!!! O ano passado fiz uma tentativa deste sabão e correu bem mas no verão voltei a tentar e não correu tão bem…talvez seja melhor fazer no inverno com a temperatura ambiente mais baixa, a verdade é que também usei uma percentagem pequena de óleos duros (50%), em Portugal fica um pouco dispendioso usar este tipo de óleos. Muito obrigado pelos seus ensinamentos e suas partilhas (o meu marido está a fazer-me o cortador individual)!!!
    Um abraço,
    Sandra

  4. Roberto,

    Sua trajetória profissional – conhecimento e metodologia – combinada com os depoimentos encontrados na sua página de contatos (inclusive de pessoas de fora do mundo do sabão!) – desprendimento e generosidade – só podiam resultar nesse site lindo onde as pessoas vem buscar esclarecimento e aperfeiçoamento. O que dizer? Parabéns!!! :o)

    Estou na fila para comprar um cortador, ok? Por favor me avise assim que estiverem disponíveis.

    Um abraço,

    Junia

  5. Que lindo sabão, Roberto! É um sabão feliz, parece que está sorrindo! Não acham? Muito obrigada por compartilhar teus conhecimentos sem reservas! É um alento para principiantes… A gente fica com mais vontade de praticar!

  6. Roberto,

    Creo que ya le dejé un mensaje hace unos meses. Hoy le escribo de nuevo para darle las gracias por su generosidad al compartir tantos conocimientos.

    Saludos desde Catalunya,
    Carmen

  7. Oi Roberto. Parabéns pelo seu trabalho. Estou muito interessada em fazer este sabonete. As outras formulas também podem ser feitas através deste processo? Obrigado por compartilhar seu conhecimento. Fique com Deus. Abraços.
    ATT,
    Claudia.
    c

      • Uma pena.
        Eu produzo e uso meus sabões, mas acompanhando as suas criações, fico curiosa em experimentar algumas delas. Por vezes, consigo quase sentir o aroma e o toque dos seus sabões através das fotos, de tão bonitos que estão.

  8. Olá Roberto!
    Adoro este espaço, e agradeço mais uma vez pela sua generosidade e boa vontade em partilhar conosco seus conhecimentos. Estou iniciando no cold e confesso que não me dei muito bem. Adorei esta técnica, até fiz uma receita que encontrei em um vídeo americano, mas como não falo inglês fluente então tive um pouco de dificuldade, ainda não tinha visto esse post. Mas agora vou fazer seguindo sua formulação. Me diga uma coisa: qual a diferença, em relação à qualidade do sabão, desta técnica para o cold normal? O fato de não passar pela fase gel não compromete a qualidade final do sabão?
    Agradeço sua atenção de sempre, forte abraço e fique com Deus.

    • Kelly,
      O sabão batido não deixa de ser um cold, sendo a diferença a oclusão de ar, deixando a massa areada.
      A ausência da fase gel neste caso não tem impacto na performance final do sabão.

  9. Akira, eu comprei agora um óleo de palma que veio líquido, uma “gordura de palma” da agropalma. As outras vezes eu comprei sólido (tipo uma pasta né, igual vem de vários fornecedores), mas desta vez por descuido, não sei, comprei este que vem em caixa de 15kg mas é líquido. Então, ele não é mais saturado por não estar sólido? Obrigada

  10. Parabéns!Detalhes no feitio do sabao que o senhor ensina,me faz desejar muito fazer essa receita!Anotei tudo e vou testar na segunda feira.Tenho oleo de oliva e oleo de mamona nao..vou usar somente de oliva mesmo.Vou usar oleo de coco,tenho somente ele e quero saber se tudo bem?..8o% de coco e 2o % de oliva?Agradecida desde ja!Otimo domingo e semana ao senhor e sua familia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *